unnamed-1

É preciso corda nos sapatos
Nos dias 4 e 5 de Outubro mais de 400 artistas, distribuídos por um percurso que ultrapassa os 70 espaços, compõem o mapa do festival fazendo da 4ª edição a mais extensa na história do evento. Os projetos chegam de todos os pontos de Portugal e tem representações internacionais vindas da Alemanha, Brasil, Bulgária, Espanha, França e México. Da Escócia, fruto de um intercâmbio cultural iniciado em 2013, chegam também artistas do projeto Glasgow Open House, que tiveram no noc noc uma das referências para a sua 1ª edição, em abril passado.

Museus improváveis
A informalidade e a transversalidade criativa continuam a protagonizar esta mostra. Das artes plásticas à música, passando pela performance, poesia ou dança ocuparão os lugares mais improváveis de Guimarães. Esta 4ª edição pauta-se pela inscrição de mais projetos com espaço próprio, por um maior número de utilização de casas privadas e pela abertura de alguns locais de interesse cultural, nunca antes abertos ao público desta forma, como os Claustros da Igreja de S. Francisco.

Para não te perderes
A sinalética dos espaços é um dos elementos mais aguardados. Este ano está a cargo do alemão Christian Oettinger, que usou um elemento do quotidiano e o transformou numa peça de arte cinética. A sua participação estará visível nos mais de 70 locais espalhados por toda a cidade e assinala os sítios de exposição.

Arte sobre rodas
Tendo em conta que este é o maior percurso de sempre do Guimarães noc noc, a organização faz um apelo à utilização de bicicletas, que poderão ser decoradas à la noc noc na sede das operações (no Tribunal da Relação, na Rua da Rainha). Quem não tem bicicleta, poderá alugar na Plataforma das Artes.

O pequenino e o pepino
Como para “noc-nocar” não há idades, a edição de 2014 não esqueceu os mais novos. Da casa “mini-mini noc noc” (situada na Assembleia de Guimarães, na Rua Professor Egas Moniz), vem o convite para um regresso à infância em família. Workshops, lançamento de livros infantis, narração oral, pintura facial, ilustração e música preenchem a programação de domingo, onde a arte e a brincadeira se misturam.

Horários
A cerimónia de abertura do Guimarães noc noc está marcada para as 15 horas de Sábado, dia 4 de Outubro, na Praça da Oliveira, com momento surpresa que será uma viagem pelo tempo. No Domingo pelas 19 horas as portas fecham-se oficialmente até 2015, embora durante todo o fim de semana, cada espaço esteja sujeito a um horário próprio.

Os bailaricos
O primeiro momento noc noc acontece logo na Sexta-feira à noite, dia 3, na Associação Convívio, às 22 horas, com as primeiras notas de aquecimento do festival. No Sábado a festa continua no Centro de Artes e Espetáculos São Mamede pela mão de um coletivo de DJ’s (António Alves da Fonseca, António Barroso, Isidro Lisboa, José Reis e Ricardo Salazar), membros da “Igreja Universal dos Fazedores de Bonitas Listas Musicais dos Últimos Dias” e projecções de Pixel Bitch, que promete diversão até de manhã.